Blogs
Featured Image
 shutterstock.com

(LifeSiteNews) – O The European Conservative informa que duas creches para crianças gerenciadas por homossexuais e lésbicas, que se fundarão com o propósito de “educar” crianças a partir dos cinco anos de idade sobre estilos de vida LGBTQ, irão abrir em Berlim no início de 2023. De acordo com Marcel de Root, o “director administrativo do centro de aconselhamento gay de Berlim” e gestor da iniciativa, afirmou que: “Deverá ser mais fácil para os pequenos saírem do armário mais tarde se não forem heterossexuais.” Por si só, o nosso conceito é o mesmo que o de outras creches. O estilo de vida LGBTI* deveria ser simplesmente um pouco mais visível.” (O asterisco refere-se a “todas as outras identidades de género e é uma parte integrante da abreviatura” Marcel de Root afirmou).

— Article continues below Petition —
Stand with pro-life Catholic dad of 7 raided by Joe Biden's FBI
  Show Petition Text
6763 have signed the petition.
Let's get to 7500!
Thank you for signing this petition!
Add your signature:
  Show Petition Text
Keep me updated via email on this petition and related issues.
Keep me updated via email on this petition and related issues.

Mark Houck, a pro-life Catholic father of 7, became the latest victim of an FBI raid and arrest on the morning of Friday September 23 — for supposed “FACE (Freedom of Access to Clinic Entrances) (Freedom of Access to Clinic Entrances) Act” violations — at his rural home as his children looked on “screaming.” 

The arrest and raid stems from an altercation with a Planned Parenthood worker.

According to Mark’s wife Ryan-Marie, a “pro-abortion protester” would verbally harrass Mark's 12-year old son — hurling vulgar and derogatory statements. 

When the protestor encroached in the boy's space, Mark defended his son. At that point, “Mark shoved him away from his child, and the guy fell back,” Ryan-Marie recounts.

The protestor was not injured, but he tried to sue Mark Houck for the assault but his case was thrown out of court in the early summer. 

WE CANNOT ALLOW THE LEFT TO HARRASS PRO-LIFE ADVOCATES THIS WAY!

It's vital to stand in solidarity with a pro-family and pro-life man being unjustly persecuted - please SIGN & SHARE our message of support now.

If convicted, Houck faces up to a maximum of 11 years in prison, three years of supervised release, and fines of up to $350,000, according to the Justice Department. 

Additional conservative pro-life leaders have weighed in — this is why we need your support ASAP. 

“Just in the last few days we’ve seen some pretty glaring examples of what appear to be instances of DOJ [Department of Justice] overreach. You’ve got a Catholic father of seven who formed a group designed to encourage young men to be faithful to their commitments, arrested in front of his seven children just recently. You’ve got all these instances of overreach. It’s deeply concerning to us all. These are all things we’re gonna be looking into.”  — US Senator Mike Lee

Tell the Houck family that you stand by them!

SIGN: We stand with pro-life Catholic dad of 7 raided by Biden’s FBI 

Please share this petition widely. Let's stand in solidarity with Mark Houck and his family. 

Thank you. 

  Hide Petition Text

Numa entrevista com os media alemães, Marcel de Root explicou que estas creches diurnas serão literalmente lugares onde as crianças serão ensinadas “como é ser gay ou lésbica.” Tudo será orientado para esse fim, com quase todos os livros apresentando protagonistas gays. Mas há um lado ainda mais tenebroso deste projecto. Citando o The European Conservative: 

No entanto, talvez mais surpreendente do que o próprio desenvolvimento, seja o facto de que Rüdiger Lautman, um sociólogo acusado de defender a pedofilia há décadas, é membro do conselho de administração da organização responsável pelas novas creches para crianças, a agência de notícias alemã FOCUS Online informa. [Em 1979, Lautman] esteve envolvido numa tentativa de abolir a lei alemã que criminaliza actos sexuais com crianças menores de 14 anos. Alguns anos mais tarde, em 1994, Lautman publicou um livro intitulado: Die Lust am Kind: Porträt eines Pädophilen (O Desejo para Crianças: Retrato de um Pedófilo). Em 1997, colaborou na redação de uma pagela intitulada “Infância e Sexualidade,” que alegava que a sexualidade entre adultos e crianças é “basicamente afirmada”. Quando confrontado com acusações de defender a promoção da pedofilia, Lautman insistiu que apenas tentou “compreender os perpetradores pedófilos e descrever o seu modus operandi.” 

Até Marcel de Root aparentemente não acredita nisso, como ele sublinhou aos meios de comunicação alemães, a dizer que Lautman, embora seja um membro do conselho de administração, não estaria envolvido nas operações porque isso seria “problemático demais” (apesar de não ter especificado a razão porquê). Acrescentou também que a ideia não veio de Lautman; contudo o Departamento de Educação do Senado solicitou um organigrama detalhado dos centros, que pretendem matricular 93 crianças. 

Mas para nós que estudamos a história da revolução sexual, tudo isto é um pouco déjà vu. Como escrevi no The European Conservative no início deste ano num artigo intitulado “The Architects of the Sexual Revolution Were Groomers” (Os Arquitectos da Revolução Sexual Foram Sedutores de Crianças), a Alemanha tem uma história sórdida com esse tipo de coisa: 

Em 2010, Jan Flesichhauer e Wiebke Hollersen escreveram um artigo assustador para Der Spiegel intitulado “Como a Esquerda levou as Coisas Longe Demais” observando que: “Um dos objectivos do movimento alemão de 1968 era a libertação sexual das crianças. Para alguns, isto significava ultrapassar todas as inibições sexuais, criando um ambiente em que até a pedofilia era considerada progressiva.” Esse ambiente envolvia discussões sobre se o sexo com crianças poderia ser saudável para as crianças e devaneios sobre se isto poderia fazer parte dos programas dos jardins de infância: “As observações dos educadores indicam que eles colocaram uma ênfase muito forte na educação sexual. Quase todos os dias, os estudantes jogavam jogos que envolviam tirar a roupa, ler juntos revistas pornográficas e fazer pantomima de relações sexuais.” Uma influente revista com uma circulação de 50.000 publicou fotografias de crianças nuas acompanhadas de descrições do seu abuso sexual por parte de adultos. Como Fleischhauer e Hollersen concluíram: “Os membros do movimento de 1968 e os seus sucessores foram entusiasmados demais numa estranha obsessão sobre a sexualidade infantil.” 

Os fundadores destas novas creches diurnas LGBT podem alegar que o seu projecto é diferente (embora é apenas uma questão de grau). A decisão de colocar Rüdiger Lautman, um homem que defendeu a legalização de sexo com crianças, no seu conselho administrativo, torna essas alegações duvidosas. 

Featured Image

Jonathon Van Maren is a public speaker, writer, and pro-life activist. His commentary has been translated into more than eight languages and published widely online as well as print newspapers such as the Jewish Independent, the National Post, the Hamilton Spectator and others. He has received an award for combating anti-Semitism in print from the Jewish organization B’nai Brith. His commentary has been featured on CTV Primetime, Global News, EWTN, and the CBC as well as dozens of radio stations and news outlets in Canada and the United States.

He speaks on a wide variety of cultural topics across North America at universities, high schools, churches, and other functions. Some of these topics include abortion, pornography, the Sexual Revolution, and euthanasia. Jonathon holds a Bachelor of Arts Degree in history from Simon Fraser University, and is the communications director for the Canadian Centre for Bio-Ethical Reform.

Jonathon’s first book, The Culture War, was released in 2016.

Comments

Commenting Guidelines
LifeSiteNews welcomes thoughtful, respectful comments that add useful information or insights. Demeaning, hostile or propagandistic comments, and streams not related to the storyline, will be removed.

LSN commenting is not for frequent personal blogging, on-going debates or theological or other disputes between commenters.

Multiple comments from one person under a story are discouraged (suggested maximum of three). Capitalized sentences or comments will be removed (Internet shouting).

LifeSiteNews gives priority to pro-life, pro-family commenters and reserves the right to edit or remove comments.

Comments under LifeSiteNews stories do not necessarily represent the views of LifeSiteNews.

0 Comments

    Loading...