News
Featured Image
Obispos católicos durante la Misa, 24 de abril de 2022, al consagrar Camerún al Inmaculado Corazón de MaríaCaptura de pantalla de Facebook/CNS Photo & Ngala Killian Chimtom

MARIENBERG, Camarões (LifeSiteNews) – Na sequência de conflitos sangrentos que se arrastam há anos nos Camarões, os bispos católicos da nação africana re-consagraram o país ao Imaculado Coração de Maria na presença de milhares de católicos. 

Como culminação de uma peregrinação de fim-de-semana, os bispos reunidos da Conferência Episcopal Nacional dos Camarões (NECC) re-consagraram o país ao Imaculado Coração no dia 24 de Abril no santuário de Marienberg, na Diocese de Edea. O país foi consagrado pela primeira vez a Nossa Senhora pelos Missionários Palotinos a 8 de Dezembro de 1890. 

Falando aos jornalistas antes da peregrinação nacional, o Bispo Abraham Boualo Kome da diocese de Bafang, o presidente da NECC, afirmou: 

“A Peregrinação Nacional e a Oração pela Paz a ter lugar em Marienberg é uma expressão de solidariedade de todos os nossos irmãos e irmãs para com o povo das regiões conturbadas do nosso país que sofrem de uma forma visível.” 

O objectivo da peregrinação, como sublinhado pelo Arcebispo Nkea Fuanya, era “implorar a intercessão da Santíssima Virgem Maria pela reconciliação e paz nos Camarões.” 

Um relatório breve da peregrinação da NECC mencionou que havia “dezenas de milhares” de peregrinos que se juntaram aos bispos durante o fim-de-semana. O Catholic News Service da Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos informou que mais de 1.200 católicos estavam reunidos no santuário. 

“A presença de todos estes cristãos testemunha a importância que Maria ocupa na sua vida de fé, mas também a sede de paz que habita o povo camaronês,” disse o Bispo Kome. “Devemos, pois, pedir a Deus esta paz, mas também fazer tudo o que for necessário ao nosso nível para a manter, porque a paz é uma graça, mas também um esforço pessoal. E isto implica sem dúvida adquirir uma qualidade de Deus que também deve tornar-se nossa: a misericórdia.” 

O Papa Francisco mencionou os bispos dos Camarões no seu Angelus de 24 de Abril, pedindo aos católicos que se unam em oração para que “pela intercessão da Virgem Maria, possam em breve conceder uma paz verdadeira e duradoura a esta amada pátria.”

Os Camarões são assolados por uma série de conflitos sangrentos e de longa duração. Uma das principais causas do derramamento de sangue envolve a população minoritária de língua inglesa, uma vez que uma guerra de seis anos já matou cerca de 6.000 pessoas, segundo o Crisis Group. Outras 765.000 pessoas foram deslocadas pelo conflito.  

Em Agosto de 2021, o Padre Richard Njoroge, um Missionário Mill Hill baseado em anglófono, Camarões, falou sobre o conflito, revelando que “uma enorme população vive no mato sem abrigo – crianças e mulheres todas vivem ao ar livre.”  

“Vamos ao mato, reunimos os cristãos e celebramos lá a Eucaristia. A Igreja irá para onde o povo está,” acrescentou ele. 

“A única coisa a que as pessoas se agarram [a] neste momento é a sua fé, porque parece que tudo o resto caiu por terra. Apesar de haver uma maior sensação de insegurança, as igrejas ainda estão cheias no domingo e as pessoas desafiarão todas as probabilidades de ir orar porque sentem que a sua fé ainda lhes dá esperança.” 

Além disso, o país é flagelado por ataques do grupo terrorista islâmico Boko Haram, particularmente no norte do país – que se tornou o “epicentro da violência de Boko Haram.” Estima-se que o grupo terrorista tenha matado mais de 4.000 pessoas, e deslocado mais de 570.000 pessoas, de acordo com algumas organizações de direitos humanos. 

Os católicos estão a ser particularmente visados pelos terroristas muçulmanos, como a Aid to the Church in Need tem relatado. “Não passa um dia sem ataques às aldeias na fronteira dos Camarões com a Nigéria,” disse o Bispo Bruno Ateba de Maroua-Mokolo, no norte dos Camarões, à caridade católica em 2020.

0 Comments

    Loading...