Notícias
Imagem em destaque
O Bispo James Conley de Lincoln conduz a procissão eucarística à volta das instalações da Planned ParenthoodDiocese Católica de Lincoln/Facebook

Nota: Este artigo foi traduzido automaticamente para português

LINCOLN, Nebraska (LifeSiteNews) - O Bispo James Conley, de Lincoln, Nebraska, conduziu os católicos a rezar a Via-Sacra à porta da Planned Parenthood na Sexta-feira Santa, poucos dias depois de ter liderado uma procissão eucarística à volta do centro de aborto, como é sua tradição anual.

Este é o livro do Bispo Conley sexto ano, liderando uma procissão eucarística à volta de uma instalação local da Planned Parenthood, na qual o bispo transporta o Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo sob a aparência de pão, seguido por leigos católicos.

Diocese Católica de Lincoln/Facebook

É o seu décimo segundo ano a liderar a Via-Sacra no exterior das instalações da Planned Parenthood na Sexta-feira Santa, o dia em que os católicos comemoram a paixão e a morte de Jesus Cristo. O prelado explicou no X que estas orações eram oferecidas pelo fim do aborto, bem como por todos os cúmplices na morte de crianças inocentes por nascer.

Mike Davis, o presidente da Lincoln Right to Life (LRTL), disse anteriormente à LifeSiteNews que o Bispo Conley "reza frequentemente de manhã cedo nas terças-feiras de aborto em frente à Planned Parenthood". Os abortos ali são feitos apenas às terças-feiras.

"A Diocese de Lincoln é muito afortunada por ter um Bispo tão pró-vida", disse Davis.

O Bispo Conley também efectua exorcismos no centro de aborto ao longo do ano, em conjunto com outros padres que se juntam a ele fora do centro.

O um bispo ardentemente pró-vida exortou os católicos a "falar a verdade, com amor, sobre o aborto".

"Por mais desconfortável que possa ser, somos chamados a partilhar as nossas convicções pró-vida com os nossos vizinhos, amigos e famílias. Podemos contrariar a influência do relativismo falando a verdade com amor - de forma convincente, clara e sem concessões", escreveu o Bispo Conley num jornal diocesano há mais de uma década.

"Não precisamos de ser combativos ou polémicos - mas para sermos cristãos sérios, precisamos de ser honestos... Não se enganem. O aborto é a morte de pequenos seres humanos no ventre materno."

A horrível realidade do aborto é que não só mata crianças por nascer, como o faz brutalmente durante cada trimestre da gravidez, como demonstrou o antigo abortista Dr. Anthony Levatino.

Durante os primeiros três meses de gravidez, quando o feto desenvolve um batimento cardíaco com cerca de seis semanas de gestação, o abortista utiliza normalmente um cateter de sucção que rasga o bebé através da força de sucção, de acordo com o Dr. Levatino.

A forma mais comum do procedimento durante o segundo trimestre - o desmembramento, ou aborto D&E - consiste em rasgar o feto pedaço a pedaço, começando pelos braços e pernas da criança, até que o abortista esmague a cabeça, que tem o tamanho de uma "ameixa grande" às 20 semanas, diz Levatino explicou. 

O juiz Anthony Kennedy observou no seu discordância no processo 2000 Stenberg v. Carhart que "o feto pode estar vivo no início do processo de desmembramento e pode sobreviver durante algum tempo enquanto os seus membros estão a ser arrancados". Além disso, sabe-se que os bebés sentem dor durante este trimestre, uma vez que os receptores de dor estão ligados ao cérebro de um feto entre as 12 e as 15 semanas.

Durante o terceiro trimestre, o abortista normalmente injeta digoxina na criança sensível à dor, causando uma parada cardíaca fatal.